Santorini Header
Home / Quem Projeta: Cundari Pereira

Quem Projeta: Cundari Pereira

Conheça o perfil de Mariza Cundari e Luís Henrique Pereira, que, com muita sintonia, somam mais de 15 anos de atuação, executando projetos que procuram captar a essência dos clientes.

Por Marcela Millan

Acordes da decoração

Com muita sintonia, Mariza Cundari e Luís Henrique Pereira
somam mais de 15 anos de atuação,
com projetos que procuram captar a essência dos clientes.

 

_i5a7516bw

Mariza Cundari Pereira gosta de pensar no processo de criação e execução de um projeto como uma orquestra, em que cada indivíduo tem um papel único a desempenhar, para permitir que a cadência flua.

Filha caçula, com pai contador e mãe dona de casa, cresceu no Jardim da Saúde, em São Paulo. Com carinho, recorda que desde pequena se animava com as brincadeiras de casinha e com tudo o que envolvia a decoração.

 

“Muito do meu processo criativo começou naquela fase. Sempre fui apaixonada por arquitetura. Lembro-me de abrir o jornal para recortar as plantas dos apartamentos”.

 

Surpreende que, em seus estudos, tenha se desviado do caminho que parecia traçado: Mariza formou-se em psicologia e chegou a ser gerente de RH de uma empresa antes de seguir seu sonho. Somente anos mais tarde procurou o curso de arquitetura, que não chegou a concluir por conta da carga de trabalho e do excesso de autoexigência.

 

Mariza começou sua carreira fazendo o layout de supermercados. Depois, o projeto de sua própria casa ganhou o foco das revistas. Como valentia não lhe falta, montou seu portfólio e o levou à Associação Brasileira de Designers de Interiores (ABD), cuja presidente, à época, era Carolina Szabó . “Perguntei, na cara e na coragem, se poderia conseguir uma carteirinha sendo autodidata. Lembro até hoje das palavras de Carolina, que aceitou me cadastrar: ‘você será grande, tem muito valor’”, recorda.

 

Nascido em Fernandópolis (SP), Luís Henrique Pereira mudou-se para a capital paulista aos quatro anos. É o mais velho dos quatro irmãos – dois homens e duas mulheres. “Meu pai veio de Portugal e se estabeleceu no interior, onde abriu uma rede de supermercados. Lá, trabalhei por muito tempo”, conta ele, que é formado em engenharia civil pelo Instituto Mauá de Tecnologia. Ele ainda labutava com a família quando se encontrou com Mariza pela primeira vez. “Nos conhecemos na boda de uma amiga em comum. No mesmo dia falei para meus amigos que a levaria ao altar. Depois de pouco mais de um ano, estávamos casados”, confessa.

 

A sociedade veio mais de uma década depois e é tão sólida quanto sua união, que já soma 25 anos. Eles têm trabalhos que se conversam e complementam – ela tem um olhar mais ligado à arte e ao design de interiores; ele traz toda a técnica de sua formação e se foca mais na execução do projeto. “Acredito na dualidade – existe uma simbiose entre a parte de criação e a de execução”, observa Mariza, que não gosta de rotular o trabalho de seu escritório. Para eles, não existe um estilo que os defina. “Realizamos o desejo do cliente, levando em conta a harmonia e funcionalidade. Então, penso que apenas um estilo não basta”, assinala Luís Henrique.

 

Sua prioridade é atingir as expectativas dos clientes, atualizando-se quanto aos novos materiais e buscando composições distintas em seus projetos, que devem ser customizados e com alma. Entre as suas marcas registradas estão as paredes, as quais gostam de revestir, seja com tecidos e materiais acolchoados, nos dormitórios, ou cerâmicas e pastilhas com relevo e movimento, para as áreas molhadas. A madeira também está entre seus materiais favoritos, assim como os pisos vinílicos amadeirados. A praticidade está na alma dos projetos.

 

“Gostamos igualmente de misturar  materiais rústicos com aqueles mais contemporâneos, que criam possibilidades clássicas e arrojadas ao mesmo tempo – como o cimento junto ao vidro, ou o mármore com o metal. Assim temos uma valsa bem orquestrada”, diz Mariza.

 

Tudo isso aliado à preocupação com a sustentabilidade. Na Casa Cor São Paulo de 2011, foram premiados pelo Green Building Council Brasil pelo espaço Boa Taça, considerado o projeto mais sustentável. Eles trabalharam com restos de madeira e um vergalhão de obra transformou-se em uma adega. Essa preocupação também se desdobra junto aos clientes, buscando adotar lâmpadas de LED, energia solar e captação de água da chuva em seus projetos, além de estudar a luminosidade, para aproveitar ao máximo a luz natural.

 

Para relaxar, Mariza e Luís Henrique adoram passar o tempo com os filhos, de 16 e 21 anos. “Eles são nossos melhores projetos”, contam, entre risos. Luís é amante da fotografia e do cinema, enquanto Mariza adora se arriscar nos trabalhos manuais de patchwork. “Seja em papel ou tecido, ou até mesmo nos projetos, distribuindo quadros e fotos pelas paredes”, brinca.

Confira o portfólio do casal

Cundari & Pereira
cundaripereira.com.br

redacao@editorialmagazine.com.br

Review overview
NO COMMENTS

POST A COMMENT