Santorini Header
Home / Projeto de restaurante tem o fundo do mar como inspiração.

Projeto de restaurante tem o fundo do mar como inspiração.

Estúdio Substance simula oceano em restaurante situado em Hong Kong.

Por Marcela Millan

Águas profundas

Estúdio Substance simula oceano em restaurante situado em Hong Kong.

 

Projeto1

O projeto prevê que a sua parte inferior simule a areia, enquanto a superior se refere ao mar. As ripas de madeira revestem tanto parte das paredes quanto do teto, sempre com caimento que gera formas orgânicas e finaliza formando bancos ou até mesmo o beiral das janelas. Todas as curvaturas tem o intuito de lembrar uma onda prestes a estourar. Os assentos foram inspirados em um aglomerado de corais em formato de leque.

 

Projeto2

A área privativa ganhou um aquário com águas-vivas, com iluminação que faz lembrar uma gruta no fundo do mar. As cadeiras têm formas e texturas da flora subaquática, feitas de madeira e rattan, com traçado orgânico.

 É quase possível imaginar o som das ondas quebrando, enquanto o cheiro de maresia se mescla aos aromas dos pratos de frutos do mar. Pensado para ser uma experiência de imersão, o design de interiores do restaurante The Ocean foi concebido pelo estúdio Substance . Localizado no centro comercial The Pulse, em Repulse Bay (Hong Kong), ele ocupa o equivalente a duas lojas, com 560 m² que abrigam 144 cadeiras e 14 banquetas no bar, tudo com livre inspiração marítima. “O oceano encantou a muitos que vieram antes de nós. Assim, imaginamos uma espécie de santuário, onde se pudesse experimentar desde a superfície mais próxima, até as profundezas sedutoras e desconhecidas”, comenta o diretor criativo e fundador do escritório, Maxime Dautresme.

 

 

 

 

 

 

Projeto3

Na área do bar, a madeira reveste o balcão e segue com linhas curvas até encontrar o piso executado com tábuas de cipreste, para prezar a continuidade. Os pendentes de vidro soprado remetem a bolhas de ar. Na planta-baixa vemos como o restaurante é basicamente dividido em dois: a parte dianteira atende ao público (recepção, bar e mesas), e a traseira, os serviços de cozinha, estoques e sanitários.

Os interiores foram concebidos com uma paleta de azuis que se equilibra com os acabamentos madeirados que remetem à areia. As texturas e os relevos, intensificados pela iluminação dirigida, apenas são quebrados pelas enormes esquadrias que vão do piso ao teto. Elas oferecem uma visão panorâmica do horizonte praiano, como se fosse uma extensão do estabelecimento.

Os materiais são diversos, como a já citada madeira, vidros soprados à mão (para lembrar bolhas de ar) e mármore. “Neste projeto tentamos aplicar nossa interpretação sobre o que há debaixo d’água”, observa Maxime, que também se preocupou com o design universal, particularmente nos sanitários e no tamanho das portas, que seguem as normas técnicas de acessibilidade.

 

Projeto4

Bojuda, a mesa da recepção foi posicionada diante do volume em drywall com pintura metálica, que mais parece uma carcaça de navio invertida que convida para entrar no estabelecimento. Um grande adereço com contas de vidro, de Jean-Michel Othoniel, lembra uma joia em grande escala.

 

Projeto5

O sushi bar, com tampo de mármore, fica recluso em uma das extremidades do salão. Ao fundo, o vidro cria uma sala circular semiprivativa. Todas as formas são fluidas e curvas, lembrando ondas e movimentos da água.

 

Para chegar a este projeto, o estúdio realizou uma ampla pesquisa sobre as formas, texturas e cores da fauna e flora marinhas, para que até os detalhes – como utensílios de mesa e uniformes dos funcionários – pudessem evocar o oceano. São sugestões que aludem a corais, anêmonas e até a sequência de Fibonacci  encontrada nas conchas e aplicada na estrutura do suporte das mesas, glorificando a geometria orgânica que se encontra nas águas.

Projeto6

As paredes ganharam pintura artística, com degradê de azul, sempre para simular o mar. As ripas de madeira também auxiliam na acústica. Os utensílios de mesa foram igualmente inspirados na fauna e flora do oceano.

 

Como o projeto visa uma experiência intimista, o restaurante também possui salas de jantar privativa e semiprivativa em cada uma de suas extremidades. A primeira contém um impressionante aquário com águas-vivas, para gerar a sensação de se estar submerso. Na segunda, vidros jateados em degradê, colocados como lâminas verticais, servem como divisória e ainda criam um novo desenho no décor.

Projeto7

A sala semiprivativa está cercada por lâminas de vidro jateado, que conferem sensação de movimento, quase posicionadas como escamas de peixe. O piso ganhou um tapete que delimita a colocação do mobiliário e que segue a mesma paleta de cores do restaurante. Atenção à base das mesas, que homenageia a sequência de Fibonacci encontrada nas conchas. As luminárias parecem águas-vivas que flutuam sobre a mesa.

 

 

 

Imagens Dennis Lo x Substance

redacao@editorialmagazine.com.br

Review overview
NO COMMENTS

POST A COMMENT